LUTO –  A importância de se desprender e aprender a deixar ir
LUTO –  A importância de se desprender e aprender a deixar ir
LUTO –  A importância de se desprender e aprender a deixar ir
Saúde Mental

LUTO –  A importância de se desprender e aprender a deixar ir

Psicóloga Jóice Bruxel
escrito por
Jóice Bruxel
2 min de leitura
Tudo o que você precisa saber sobre Psicoterapia [GUIA COMPLETO 2018] → Psicóloga Jóice Bruxel

Baixe agora o Guia Completo Sobre Psicoterapia [2018]!

Claro, objetivo e no formato de perguntas e respostas.
O e-book é gratuito e baixando AGORA você ganha um bônus especial!

Baixar e-book grátis!


Todos nós perdemos. Perdemos o tempo todo. E também ganhamos. Alguns ganhos, inclusive, implicam em outras perdas, e vice-versa. Tudo isso é natural. Mas o fato de ser natural, não impede de ser doloroso. Perder, muitas vezes, dói. E pode doer muito.

Perdas significam mudanças, e mudanças são processos que implicam em desconforto. Até nos familiarizarmos com o novo, estamos fora da nossa zona de conforto.

Sendo assim, todos nós, em algum momento precisamos lidar com a separação de algo que nos é essencial ou importante. Sejam pessoas, coisas, objetos, dinheiro, status, poder, sentimentos, animais de estimação, etc.

Precisamos lidar com a mudança que esta falta, que esta perda implicará. Precisamos lidar com o que vamos fazer com a falta e com a saudade que sentiremos. Precisamos ficar de cara a cara com o vazio. Enfrentar o nada.

senhora triste

O luto é um processo. Um processo de desprendimento. E você precisa aprender a se desprender. A não formulação saudável do luto consiste justamente quando alguém não consegue fazer este movimento, de desprendimento com o que foi perdido, e sim, faz o movimento contrário, o de identificação.

A melancolia, neste cenário, entra como uma espécie de morrer junto, de ir embora junto com aquilo que foi perdido.

É como se a identificação da própria pessoa se desse a partir daquilo que foi perdido, ou seja, o que foi perdido é o verdadeiro sentido dela mesma, e sem aquilo, é como se a sua própria existência fosse (ou estivesse) nula. E é neste caso, em que a pessoa não consegue se desprender e seguir em frente, que existe uma não elaboração saudável do luto, o que pode trazer grandes danos, tanto no presente, quanto no futuro.

Se você passou por algo parecido e não consegue seguir a sua vida por se ser totalmente dependente de algo ou alguém que já se foi, procure ajuda! Você precisa aprender a lidar com as suas faltas, todos nós precisamos. A falta é algo inerente ao ser humano. Sempre sentiremos falta de algo ou alguém.

Entenda: Você precisa seguir adiante, e isso não significa que não vai doer, apenas não vai paralisar. A dor é algo presente e inevitável, e você não pode ter o controle sobre isso, mas você precisa ter o controle sobre o que você vai fazer com isso.

Você precisa se libertar! Precisa aprender a lidar com a sua própria dor, a encará-la de frente. E eu sei que vai doer. Vai doer sim. Comigo acontece da mesma forma. Mas fugir não é uma opção. Ficar amarrado ao que já se foi é um fardo muito pesado para continuar carregando.

Existem pessoas que podem te ajudar. E eu sou uma delas. Sossega o teu coração e fica tranquilo (a). Um passo de cada vez. Ainda existe vida, ainda há uma jornada pela frente. Um passo de cada vez e sempre em frente. Enfrente e em frente!

Você não está sozinho(a)!

Jóice Bruxel
Psicóloga CRP-08/25350
Gostaria de agendar uma consulta?

Deixe seu comentário

Artigos relacionados

Quero agendar uma consulta!